O que há de novo?
Loading...

Vaginose Bacteriana

Essa doença, Também conhecida como vaginite não específica, é a mais comum das vaginites. É causada por uma alteração na flora vaginal normal, com diminuição na concentração de lactobacilos e predomínio de uma espécie de bactérias sobre outras, principalmente a Gardnerella vaginalis. Por ter uma causa orgânica ou seja, suas causas são por causa do próprio organismo da mulher, não é considerada uma DST.

Sinais e sintomas

Os sintomas são de fácil percepção, como corrimento vaginal, geralmente de cor amarela, branca ou cinza, que apresenta odor desagradável. Algumas mulheres o descrevem como “um odor forte com cheiro de peixe” que aparece, principalmente, após uma relação sexual e durante o período da menstruação. Pode gerar ardência ao urinar e/ou coceira no exterior da vagina porém, algumas mulheres podem não apresentar sintoma algum.

Formas de contágio
Não é sexualmente transmissível, pois trata-se de um desequilíbrio do nível de bactérias normalmente presente na vagina, causada pela diminuição das bactérias protetoras daquele ambiente.
Desenvolve-se quando uma mudança no ambiente da vagina causa o aumento do nível de bactérias prejudiciais - como bactérias do intestino, por exemplo. Pode ser transmitida entre parcerias femininas

Prevenção
São necessários cuidados básicos que podem ajudar a reduzir o risco de desequilíbrio da natureza da vagina e evitar o desenvolvimento da vaginose bacteriana: - Usar camisinha durante as relações sexuais - Evitar o uso de duchinhas - Evitar produtos químicos que podem causar irritação e desconforto na região genital

Tratamento
Meninas, atenção! O tratamento em geral, é feito com Metronidazol. Fazer o tratamento completo, mesmo que os sintomas desapareçam antes do fim. Normalmente, os parceiros (de ambos os sexos) não precisam fazer o tratamento de vaginose bacteriana. Vaginose não tratada: Na maioria dos casos a vaginose bacteriana não causa grandes complicações. Mas existem algumas implicações sérias: - Parto prematuro ou recém-nascido com peso abaixo da média; - As bactérias que causam a vaginose bacteriana podem infectar o útero e as trompas de falópio. Esta inflamação é conhecida como doença inflamatória pélvica (DIP). A vaginose bacteriana pode aumentar a probabilidade de infecção por DST/aids em casos de exposição ao vírus. - Pode aumentar a probabilidade de uma mulher ser infectada por outras doenças sexualmente transmissíveis, como clamídia e gonorreia.




0 comentários:

Postar um comentário

- Todos os Comentários são bem vindos.
Caso tenha alguma dúvida sobre saúde e beleza é só perguntar que tentarei responder a todos.
- Comentários com links irão para uma avaliação para ser aceito, caso não for aceito serão excluídos
- As informações fornecidas aqui são para simples informação. O seu conteúdo não deve ser utilizado para autotratamento e automedicação. Sempre procurar um médico, pois somente ele poderá indicar o melhor para a sua saúde.
- É proibida a reprodução total ou parcial do post, os direitos autorais pertencem à Blogueira Luh Fernandez.

Volte Sempre!

As informações fornecidas no Blog da Luh Fernandez são para simples referência. O seu conteúdo não deve ser utilizado para autotratamento e automedicação. Sempre procurar um médico, pois somente ele poderá indicar o melhor para a sua saúde e nada substitui a palavra de um especialista.
Copyright © 2017 Todos os direitos reservados pertence a Luh Fernandez. Tecnologia do Blogger.